Publicidades
ATENÇÃO
As pessoas mostradas neste site são tratadas como suspeitas, sendo presumida sua inocência.
Conforme inciso LVII artigo 5º da constituição federal:
"Ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado da sentença penal condenatória".

Seringueiras

PC inicia captura de criminosos que invadiram a fazenda bom futuro em Seringueiras e prende o líder da invasão

Publicado em - 06/09/2016 - 17:04:14
1299

Foi deflagrada hoje uma operação da Polícia Civil na região de São Miguel do Guaporé, visando dar cumprimento a diversos mandados de prisão expedidos em desfavor de indivíduos que estavam na invasão da fazenda Bom Futuro, integrantes da chamada Liga dos Camponeses Pobres (LCP).

Foram cumpridos cinco mandados de prisão temporária, todos expedidos pelo juízo da comarca de São Miguel do Guaporé. Dentre os presos está o líder da invasão, e suspeito de ser o mandante de vários crimes, CLAUDEIR CLERES BARROS,  vulgo "POLACO", além de três outros homens e uma mulher.

A operação foi coordenada pelos Delegados Julio Cesar, William Sanches, Silvio Hiroshi e Henrique Bittencourt, e contou com policiais civis das delegacias de São Miguel do Guaporé, Seringueiras, Alvorada e São Francisco do Guaporé. Os Delegados informaram que mais prisões ocorrerão nos próximos dias. 

A ação iniciou-se no distrito de Santana do Guaporé, em São Miguel do Guaporé, com capturas em Alvorada do Oeste e também no assentamento de Seringueiras. Além desses, outros dois indivíduos já teriam sido autuados em flagrante dias antes.  Com a primeira etapa da operação os delegados pretendem esclarecer vários pontos da investigação. 

As prisões foram decretadas com prazo de 30 dias, sendo prorrogáveis por igual período. Todos foram recolhidos à Casa de Detenção de São Miguel do Guaporé.

ENTENDA O CASO

No dia 17 de julho do corrente ano, um grupo de criminosos adentrou a fazenda Bom Futuro, localizada no município de Seringueiras, fazendo o proprietário e seus funcionários de reféns e os expulsando da terra apenas com a roupa do corpo. Ato contínuo a fazenda foi ocupada por várias famílias que disseram pertencer à Liga dos Camponeses Pobres, a LCP. Há alguns dias, no entanto, os invasores desocuparam a fazenda e foram realocados em outro assentamento próximo.

Com a saída dos invasores foi constatado que tudo que havia na fazenda fora destruído, casa da sede foi queimada e outras edificações destruídas. Havia gado sacrificado e também morto por fome e sede, os pastos foram queimados e haviam ainda trincheiras de guerra com algumas torres de vigilância no local.

Uma força tarefa da Polícia Civil, sediada em São Miguel do Guaporé, investigava já há vários dias os crimes que foram cometidos antes e durante a invasão da fazenda Bom 
Futuro por integrantes da Liga dos Camponeses Pobres, a LCP.

Segundo o delegado responsável, vários crimes foram cometidos, como Associação Criminosa, esbulho possessório, tortura, tentativa de homicídio, corrupção de menores, incêndio, dano qualificado, roubo e crimes ambientais. Várias pessoas foram identificadas como sendo os autores mediatos ou imediatos dos crimes, e foi solicitado a expedição de vários mandados de prisão ao poder judiciário local.

Os investigadores informaram que não foram expedidos mandados de prisão para as pessoas que simplesmente estão acampadas, e sim para aqueles que foram identificados como suspeitos de serem líderes e ordenarem os crimes supracitados.

Matéria: urupa190
Fotos: urupa190

capa

Veja também

Publicidades